• Instituto de Terras, Cartografia e Geologia do Paraná - ITCG

Valores de Referência de Variáves inorgânicas para o Estado do Paraná

Por reconhecer a grande urgência de se promover a investigação e gestão de áreas contaminadas no território paranaense, o ITCG, através de sua Diretoria de Geologia, disponibiliza este aplicativo para consulta dos valores de variáveis geoquímicas em distintos meios amostrais (solo, sedimento de drenagem e água fluvial) para uso multipropósito. A robusta base de dados gerada, fruto de pesquisa em todo o território paranaense, permite desde a delimitação de áreas de risco à saúde humana e monitoramento ambiental, planejamento agrícola, estudos de fauna e flora, à exploração mineral.

Ao usuário do aplicativo, recomenda-se levar em conta que o sinal geoquímico num determinado local representa o somatório da influência natural com a ação antrópica. Por essa razão, teores elevados não representam, necessariamente, contaminação devida apenas à atividade humana.

Os mapas apresentados são compostos de malha regular de pontos, com espaçamento de 5.000 x 5.000 m. Os valores associados a cada ponto são valores obtidos por técnica de interpolação a partir dos dados originais que, dependendo do caso, representam bacias ou malha de pontos com espaçamento maior.

As 696 amostras de água e de sedimento fluvial foram coletadas em bacias hidrográficas, com área média de 225 km². As 309 amostras originais de solo (Horizonte B) foram coletadas em malha regular, com pontos espaçados de 25 x 25 km.

As tabelas com os valores originais (como foram recebidos dos laboratórios) podem ser obtidas na página do ITCG

Detalhes sobre os procedimentos de coleta e técnicas analíticas podem ser obtidos em:

1. Água fluvial:
Licht, O.A.B., 2001. Atlas geoquímico do Estado do Paraná. 1 ed. Curitiba: Minerais do Paraná S.A. - MINEROPAR., 2001. v. 1. 71p .

2. Sedimento fluvial:
Licht, O.A.B, 2001. Atlas geoquímico do Estado do Paraná. 1 ed. Curitiba: Minerais do Paraná S.A. - MINEROPAR., 2001. v. 1. 71p .
Licht, O.A.B., 2001. A Geoquímica Multielementar na Gestão Ambiental - Identificação e caracterização de províncias geoquímicas naturais, alterações antrópicas da paisagem, áreas favoráveis à prospecção mineral e regiões de risco para a saúde no Estado do Paraná, Brasil, Ano de obtenção: 2001.

3. Solo – Horizonte B:
Licht, O.A.B.; Plawiak, R.A.B., 2005. Geoquímica de solo - Horizonte B - do Estado do Paraná. 1 ed. Curitiba: Minerais do Paraná S.A., 2005. v. 02. 857p .
Volume I
Volume II

Licht, O.A.B., 2001. A Geoquímica Multielementar na Gestão Ambiental - Identificação e caracterização de províncias geoquímicas naturais, alterações antrópicas da paisagem, áreas favoráveis à prospecção mineral e regiões de risco para a saúde no Estado do Paraná, Brasil, Ano de obtenção: 2001.

4. Detalhes sobre a técnica de interpolação adotada estão em:
Licht, O.A.B., 2001. A Geoquímica Multielementar na Gestão Ambiental - Identificação e caracterização de províncias geoquímicas naturais, alterações antrópicas da paisagem, áreas favoráveis à prospecção mineral e regiões de risco para a saúde no Estado do Paraná, Brasil, Ano de obtenção: 2001.

Escala numérica e cromática
Para salientar as variações regionais dos valores nos mapas geoquímicos, foi adotada escala numérica baseada em intervalos dos seguintes percentis: 5, 15, 25, 40, 50, 65, 75, 85, 90, 91, 93, 95, 97, 98, assim como os valores mínimo e máximo do conjunto de dados. Essa escala numérica é adotada por serviços geológicos de diversos países na elaboração de mapas geoquímicos. Tem por vantagem não sofrer a influência de valores excepcionalmente elevados, que porventura existam no conjunto de dados. Para bem representar as variações dos teores de cada variável analisada, foi adotada uma gradação cromática desde as cores frias (cinza, preto e azul escuro) até as cores quentes (amarelo, laranja e vermelho), correspondendo à variação dos valores baixos até os altos, respectivamente.
Para enfatizar ainda mais essas variações, aos símbolos foi atribuído diâmetro crescente dos valores baixos até os elevados.

Novos dados
As amostras de sedimentos fluviais e de solo-Horizonte B aqui utilizadas estão devidamente armazenadas no ITCG e passíveis de reanálises futuras.
Dados de outros levantamentos geoquímicos, usando outros meios amostrais, frações específicas ou novas técnicas analíticas poderão ser incluídos futuramente, visando enriquecer a base de dados.

Créditos
Este aplicativo foi inteiramente desenvolvido pela equipe técnica do Setor de Geoprocessamento da Celepar.

orientações para utilização do sistema     acesso ao sistema
Recomendar esta página via e-mail: