• Instituto de Terras, Cartografia e Geologia do Paraná - ITCG

ITCG

02/05/2017

Faixa do Arenito Botucatu recebe mapeamento geológico do ITCG

Na última semana, entre os dias 24 a 28.04, foi realizada mais uma etapa do mapeamento geológico da faixa de afloramento (exposição da rocha na superfície terrestre) do Arenito Botucatu no Paraná, que se estende do município de Sengés até União da Vitória. O trabalho está sob responsabilidade do geólogo Luciano Cordeiro de Loyola e do técnico em geologia Roberto Eustáquio dos Anjos Santiago, do Instituto de Terras, Cartografia e Geologia do Paraná-ITCG.

Geologicamente este arenito é considerado como área de recarga da água subterrânea em muitas localidades do Estado. Segundo o geólogo Luciano Cordeiro de Loyola, uma área de recarga é onde a água entra para dentro da rocha e que é possível retirar esta água através de poços artesianos “Essa formação geológica é constituída essencialmente por areia em forma de rocha, chamada de arenito. É uma formação extremamente porosa, então toda a água da chuva e rios penetra nesta formação, ficando por baixo dela, onde são feitos poços para a retirada de água” explica.

De acordo com Loyola o mapeamento é necessário para que futuramente não se perca o acesso a água potável. “O mapeamento é uma medida preventiva. É preciso tomar cuidados para que uma indústria, por exemplo, não se instale nos locais causando a poluição da água” disse ele.

O trabalho de mapeamento teve início em 2015 e foi dividido em três grandes etapas: Regiões Sul, Central e Norte do Paraná.  As duas primeiras já foram concluídas e neste ano os trabalhos acontecem no Norte. Esta etapa será iniciada pela folha (carta topográfica) de Ribeirão do Pinhal com escala 1:50.000. 

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.