• Instituto de Terras, Cartografia e Geologia do Paraná - ITCG
Instituto de Terras, Cartografia e Geologia do Paraná

ITCG

03/04/2019

ITCG finaliza relatório de caracterização do meio físico de Tijucas do Sul e Prudentópolis

O relatório auxilia as prefeituras e outros órgãos na criação do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano, indicando as áreas de riscos geológicos do município.

 

O Governo do Estado, por meio do Instituto de Terras, Cartografia e Geologia do Paraná (ITCG), entregou o último relatório de Caracterização do Meio Físico dos municípios de Tijucas do Sul e Prudentópolis. O objetivo do trabalho é indicar áreas de riscos geológicos para orientação dos melhores locais para planejamento urbano.

O relatório é disponibilizado para auxílio das Prefeituras Municipais, e outros órgãos envolvidos, na criação do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano por meio da definição da adequabilidade dos terrenos para os diferentes tipos de ocupação, dando ênfase à caracterização de áreas suscetíveis aos escorregamentos de encostas e áreas sujeitas a inundações e alagamentos que podem trazer prejuízos socioeconômicos para a sociedade, além da possibilidade de perda de vidas humanas.

TIJUCAS DO SUL – A Prefeitura Municipal solicitou apoio para criação do relatório com abordagem dos aspectos geológicos, pedológicos geomorfológicos, hidrogeológicos, ambientais locais e delimitação das áreas de risco para constarem no Plano Diretor.

O objeto da avaliação foi a área urbanizada e imediações da cidade de Tijucas do Sul, incluindo as regiões de Lagoinha, Tabatinga e Campina, totalizando numa superfície de 80,0 km². O Relatório está disponível no aqui.

PRUDENTÓPOLIS – Foi solicitada pela Prefeitura Municipal uma vistoria técnica no Morro Alto de Perobas depois de ter ocorrido na área um Movimento Gravitacional de Massa (MGM) de grandes proporções devido a chuvas de grande intensidade. E com isso, foi decidido contemplar no relatório todo o território do município, tendo em vista que a região apresenta áreas com altas declividades e podem oferecer riscos.

A avaliação abrange uma superfície aproximada de 2.237 km². O Relatório está disponível aqui.


Saiba mais sobre o trabalho da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e Turismo em:
https://www.facebook.com/desenvolvimentosustentaveleturismo/

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.